Vagas

Notícia

Postado em Atualizado em

Por Washington Barbosa

ICA2

Meu querido aluno, minha querida aluna, a publicação do edital para o provimento de vagas no quadro de pessoal do MPOG – Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – agora está cada vez mais próximo, já que foi oficializado o contrato entre o órgão e o organizador, o CESPE/UNB – Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos – Conforme a previsão do órgão, o edital de abertura visando o preenchimento de 556 vagas em cargos de nível superior e médio será publicado nos próximos dias.

Dentre o total de vagas oferecidas, 534 são para lotação no próprio Órgão e 22 para a Escola Nacional de Administração Pública (Enap). E já que a autorização inicial foi concedida em dezembro de 2014, o MPOG tem até o dia 18 de junho para publicar o edital.

Para os candidatos com nível superior a oferta é de 300 (trezentas) vagas para o cargo de Analista de Tecnologia da Informação (TI), e 83 (oitenta e três) oportunidades para Analista Técnico Administrativo. Ambos os cargos contam com uma remuneração de inicial de R$ 4.247,00 (Quatro mil, duzentos e quarenta e sete reais), os aprovados serão lotados no Ministério do Planejamento.

À Enap estão previstas 22 (vinte e duas) vagas: para os candidatos com nível médio são 18 (dezoito) vagas para os cargos de Técnico em Assuntos Educacionais, com remuneração inicial de R$ 2.818,00 (Dois mil, oitocentos e dezoito reais). E 4 vagas para os candidatos com nível superior, para o cargo de Técnico, com remuneração inicial de R$ 4.247,00 (Quatro mil, duzentos e quarenta e sete reais).

Há também 57 (cinquenta e sete) vagas para cargos do PGPE, todos possuem a exigência de nível superior de formação e contam com uma remuneração inicial de R$ 4.247,00 (Quatro mil, duzentos e quarenta e sete reais), essas oportunidades são para: Administrador (6), Geógrafo (17), Arquivista (9), Assistente Social (7) e Contador (14).

Quatro vagas são destinadas para Médico, com carga horária de 20h semanais e remuneração inicial de R$ 3.489,00 (três mil, quatrocentos e oitenta e nove reais). E um cargo de nível médio – Técnico em Assuntos Educacionais – será selecionado para o MP.

Os candidatos poderão concorrer ainda a 93 (noventa e três vagas) vagas para a Estrutura Remuneratória de Cargos Específicos – Erce, que exige nível superior e tem remuneração inicial de R$ 5.334,00 (Cinco mil, trezentos e trinta e quatro reais). São 54 cargos de Engenheiro; 16 de Arquiteto; 16 de Geólogo; e 7 de Economista.

VEJA TAMBÉM:

Concursos 2015

MPOG 2015

MTE 2015

Ministério da Fazenda 2015

FUNAI – 2015

Ministério da Justiça – 2015

Concurso TJDFT – 2015

Notícia AGU 2015

wasWASHINGTON LUÍS BATISTA BARBOSA é especialista em Direito Público e em Direito do Trabalho, MBA Marketing e MBA Formação para Altos Executivos;

Desempenhou várias funções na carreira pública e privada, dentre as quais: Assessoria Jurídica da Diretoria Geral e Assessoria Técnica da Secretaria Geral da Presidência do Tribunal Superior do Trabalho, Diretor Fiscal da Procuradoria Geral do Governo do Distrito Federal, Cargos de Alta Administração no Conglomerado Banco do Brasil.

Coordenador de Cursos Jurídicos de pós-graduação e preparatórios para concursos públicos. Autor de vários artigos publicados em revistas especializadas. Editor dos blogs washingtonbarbosa.com, tw/wbbarbosa, e fb/washingtonbarbosa.professor

Anúncios

Concursos 2015

Postado em Atualizado em

Por Washington Barbosa

De acordo com o Ministério do Planejamento, cerca de 20 mil postos estão vagos e precisam ser preenchidos, vale ressaltar que há ainda os cargos que aguardam a aprovação do Congresso Nacional para serem efetivados. A expectativa é de que pelo menos 30 grandes concursos públicos sejam realizados este ano. Espera-se com isso, um quantitativo maior de cargos disponíveis (e concorridos) em 2015 do que no ano passado.

Dentre as seleções mais aguardadas temos: Conselho Nacional do Ministério Público – CNMPPolícia Civil do DF (Delegado); Ministério Público da União – MPU; Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos TerritóriosTJDFT; Polícia Rodoviária Federal – PRF; Defensoria Pública da União – DPU; INSS e muitos outros.

A Lei de diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015 prevê a criação de 28.957 cargos, mais as vagas que podem surgir quando há demissão ou pedido de aposentadoria pelo servidor.

Contabiliza-se, previsão até o momento, cerca de 15 mil vagas para a área de Judiciária, Defensoria Pública (3.897), Ministério Público da União (1.879) e tribunais (9.177). Mais 13.974 (treze mil, novecentos e setenta e quatro) vagas para os Órgãos do Poder Executivo.

Não perca o foco

Com muitos concursos previstos é normal que haja também maior interesse nos certames, e consequentemente, mais concorrência. No entanto alguns candidatos aguardam a publicação do edital para começar a estudar. Esse erro pode custar muito caro (a sua nomeação). Portanto a dica é que mantenha-se o ritmo de estudo e para quem está iniciando sua preparação: mantenha sua rotina de preparo com as chamadas disciplinas básicas – aqueles conteúdos comuns nos certames: Direito Administrativo, Direito Constitucional, Língua Portuguesa e outras (dependendo da área de sua escolha ou formação).

Portanto, meu querido aluno e minha querida aluna, acompanhe as dicas de conteúdo que compartilho com vocês, mantenha-se firme em seu objetivo, escolha a área de sua preferência e bons estudos!

Até a sua cerimônia de posse!

Veja também:

Traduzindo o Edital CNMP

O CNMP na Constituição

A Análise do Edital DPU (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte III)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte IV)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte V)

wasWASHINGTON LUÍS BATISTA BARBOSA é especialista em Direito Público e em Direito do Trabalho, MBA Marketing e MBA Formação para Altos Executivos;

Desempenhou várias funções na carreira pública e privada, dentre as quais: Assessoria Jurídica da Diretoria Geral e Assessoria Técnica da Secretaria Geral da Presidência do Tribunal Superior do Trabalho, Diretor Fiscal da Procuradoria Geral do Governo do Distrito Federal, Cargos de Alta Administração no Conglomerado Banco do Brasil.

Coordenador de Cursos Jurídicos de pós-graduação e preparatórios para concursos públicos

Editor dos blogs www.washingtonbarbosa.comwww.twitter.com/wbbarbosa, e https://www.facebook.com/washingtonbarbosa.professor

Autor de vários artigos publicados em revistas especializadas.

Concurso para o TJDFT

Postado em Atualizado em

TJDFT

Câmara aprova criação de 580 cargos para o Tribunal de Justiça do DF

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 7722/14, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), que cria 580 cargos para complementar os quadros do tribunal. A proposta seguirá para o Senado.

O texto cria 355 cargos efetivos, a serem preenchidos por concurso público, divididos entre técnicos e analistas. Os salários iniciais são de R$ 4.575,16 para técnicos e R$ 7.506,55 para analistas.

Também serão criados 25 cargos em comissão CJ-3, que pagam R$ 10.352,52; e 200 funções comissionadas (FCs) com remuneração entre R$ 1.567,95 e R$ 3.434,43.

Os novos cargos vão compor os quadros de quatro novos fóruns criados em cidades-satélites do Distrito Federal: Águas Claras, Recanto das Emas, Guará e Itapoã. O Fórum do Guará já foi finalizado, os demais estão em construção. As outras áreas do TJDFT que serão beneficiadas são varas especializadas, o núcleo de informática e o setor responsável pela mediação e conciliação.

Foi aprovada uma emenda da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público para vincular a criação dos cargos à expressa autorização da lei orçamentária.

Mais uma grande oportunidade para 2015. Comece a estudar agora!!!!

Íntegra da proposta:

Veja também:

Estratégias para Estudar para o TJDFT

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte III)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte IV)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte V)

Acompanhe, curta e compartilhe

Washington Luís Batista Barbosa

http://www.washingtonbarbosa.com

http://www.facebook.com/washingtonbarbosa.professor

Edital CNMP

Postado em Atualizado em

CNMP

Tenho a satisfação de informar que o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), vai lançar seu primeiro concurso público. E você que acompanha minha página fica bem informado e começa a se preparar primeiro. A previsão da remuneração inicial é de R$ 5.007,82 (cinco mil, sete reais e oitenta e dois centavos), para o cargo de técnico (nível médio), e de R$ 8.178,06 (oito mil, cento e setenta e oito reais e seis centavos) para o cargo de analista (nível superior). Ao todo serão oferecidas 87 oportunidades e formação de cadastro reserva, todas as oportunidades são para Brasília.

A ESTRATÉGIA

O planejamento é a palavra chave para o sucesso! Estudar para essa oportunidade é um empreendimento e, como todo projeto, envolve sacrifícios financeiros, pessoais e acima de tudo emocionais. Nada é conquistado ao acaso, para se ter sucesso faz-se necessário um investimento. Eu tive um professor e amigo que sempre falava: “Washington, passar em uma prova é questão de sorte; mas quanto mais eu estudo, mais sorte tenho!”

Aqui, importante destacar os passos que devem ser seguidos para uma maior efetividade em seu projeto:

a) analise o programa;

b) defina as fontes de estudo;

c) verifique o tempo disponível;

d) aloque as matérias para estudo;

e) monte seu cronograma de estudo;

f) avalie e reveja o seu planejamento periodicamente.

Outra dica importante é dá uma olhada no Edital para o concurso do CNJ, o concurso ocorreu em 2012 e as funções dos dois órgãos são similares, o que nos faz imaginar que o concurso do CNMP siga mais ou menos a mesma linha.

Invista um tempo importante para planejar e traçar seus objetivos, sem pressa. Você verá o resultado bem à sua frente.

Desta forma você conseguirá estabelecer um cronograma adequado e, com o tempo e metodologia necessários, abordar todo o programa do Exame.

A pergunta que não quer calar, quando começo a estudar?

Alguns dirão que você deve começar somente quando o edital for publicado, outros somente às vésperas da prova, ainda haverá quem diga que não adianta começar porque nunca você conseguirá passar.

Eu sugiro que você inicie seu planejamento e estudos AGORA!

Mas o que estudar? O que vai ser contemplado no edital? Qual será a banca?

Longe de mim querer ser um vidente para falar-lhes com certeza como será o edital, mas existem técnicas que ajudam a chegar bem próximo do que será contemplado.

Bons estudos e até a cerimônia de posse!!!

Veja também:

A Análise do Edital DPU (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte III)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte IV)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte V)

wasWASHINGTON LUÍS BATISTA BARBOSA é especialista em Direito Público e em Direito do Trabalho, MBA Marketing e MBA Formação para Altos Executivos;

Desempenhou várias funções na carreira pública e privada, dentre as quais: Assessoria Jurídica da Diretoria Geral e Assessoria Técnica da Secretaria Geral da Presidência do Tribunal Superior do Trabalho, Diretor Fiscal da Procuradoria Geral do Governo do Distrito Federal, Cargos de Alta Administração no Conglomerado Banco do Brasil.

Coordenador de Cursos Jurídicos de pós-graduação e preparatórios para concursos públicos

Editor dos blogs www.washingtonbarbosa.comwww.twitter.com/wbbarbosa, e https://www.facebook.com/washingtonbarbosa.professor.

Autor de vários artigos publicados em revistas especializadas.

Edital DPU 2014

Postado em Atualizado em

dpu

O concurso da Defensoria Pública da União (DPU) será organizado pelo Cespe/UnB. A informação foi oficializada por meio de dispensa de licitação publicado no diário oficial da união desta quarta, 03/09. O edital será divulgado nos próximos dias. O concurso é para o provimento de cargos efetivos vagos de Defensor Público Federal de Segunda Categoria da carreira de Defensor Público Federal da Defensoria Pública da União, ou dos cargos efetivos de Defensor Público Federal de Segunda Categoria.

Para concorrer é necessário possuir nível superior em Direito, registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na data da posse e, no mínimo, dois anos de atividade jurídica. A remuneração inicial da carreira é de R$ 15.719,13.

Embora a quantidade de vagas ainda não esteja definida, o órgão conta com um total de 596 vagas em aberto, oriundas da Lei 12.763, de 2012, que cria 789 vagas, sendo 732 na segunda categoria, 48 na primeira e nove na categoria especial. Como o órgão conta com 136 remanescentes do último concurso, realizado em 2010, 596 permanecem em aberto na segunda categoria.

O concurso de 2010 contou com um total de 134 vagas. A organizadora foi o Cespe/UnB.

 A seleção contou com provas objetivas, dissertativas, avaliação oral e análise de títulos. A primeira foi composta de 50 questões sobre direito civil, direito processual civil e direito internacional privado, 50 de direito penal, direito processual penal, direito penal militar e direito processual penal militar, 50 de direito do trabalho, direito processual do trabalho, direito previdenciário, direito tributário, direito administrativo e direito eleitoral e 50 de direito internacional público, direito constitucional, direitos humanos, princípios institucionais da Defensoria Pública e noções de filosofia, ciência política e sociologia.

Clique aqui e confira a dispensa de licitação.

Veja também

Regulamento do Concurso da DPU

Edital da PGE – Rio Grande do Norte

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte III)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte IV)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte V)

 

Edital PFN 2014

Postado em

Fazenda: solicitadas 250 oportunidades de Procurador Nacional!

pfn

Logo após o envio de solicitação de concurso para o preenchimento de 332 vagas para o cargo de advogado da União, no início de abril, o advogado geral da União, ministro Luís Inácio Adams, encaminhou novo pedido de concurso para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Desta vez, o objetivo é preencher 250 vagas para o cargo de procurador da fazenda nacional, no decorrer de 2015. A expectativa é de que algum parecer sobre o concurso seja divulgado no decorrer das próximas semanas, por parte do Ministério do Planejamento.

Para concorrer à carreira é necessário possuir bacharelado em direito, registro na ordem dos advogados do Brasil (OAB) e pelo menos dois anos de prática forense. A remuneração inicial da categoria, de acordo com a tabela de remuneração dos servidores federais, é de R$ 16.489,37 na segunda classe, passando para R$ 18.947,30 na primeira e chegando a R$ 21.424,30 na classe especial.

O último concurso para o cargo ocorreu em 2012 e foi organizado pela Esaf, para o preenchimento de 70 vagas. A seleção contou com prova objetiva, três provas discursivas, avaliação oral e análise de títulos, além de sindicância de vida pregressa.

A prova objetiva foi composta de 100 questões, divididas em três blocos. O primeiro versou sobre direito constitucional (20 questões), direito tributário (20) , direito financeiro e econômico (10) e direito administrativo (10). No segundo, os temas foram sobre direito internacional público (2), direito empresarial (5), direito civil (5) e direito processual civil (20). Finalmente, no terceiro, direito penal e processual penal (2), direito do trabalho e processual do trabalho (2) e direito da seguridade social (4).

A primeira prova discursiva contou com elaboração de parecer e três questões discursivas. Na segunda, o processo seletivo contou com elaboração de peça judicial e três questões discursivas e na terceira, elaboração de dissertação e três questões discursivas.

Já a prova oral versou sobre direito constitucional, direito tributário, direito financeiro e econômico, direito administrativo, direito empresarial, direito civil e direito processual civil.

Defensoria Pública da União

Postado em

Déficit de

defensores públicos federais

chega a 66%

O déficit de defensores públicos federais chega a 66% no país, aponta o estudo Um panorama da atuação da Defensoria Pública da União, lançada no final de março. Esse seria o aumento necessário para que houvesse ao menos um defensor federal para cada 100 mil habitantes com mais de dez anos de idade e rendimento mensal de até três salários mínimo.

Segundo o relatório, dos 561 cargos de defensor público federal, 506 estão ocupados para atuação na primeira e segunda instâncias. Não foram considerados no cálculo os membros que atuam perante os tribunais superiores.

O diagnóstico revela, ainda, que a principal demanda da DPU, entre os órgãos públicos federais contra os quais litiga, é previdenciária — o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Somados, os litígios nesta seara concentram 35% das pretensões de atendimento.

Em 2013, conforme a publicação, 21 mil assistidos deixaram de ajuizar demandas após atuação da Defensoria, por meio de acordos administrativos e pelo arquivamento de pretensões juridicamente inviáveis, o que evitou sobrecarregar ainda mais o Poder Judiciário.

O tempo médio global entre a chegada do cidadão às unidades da DPU e o efetivo início do atendimento correspondeu a 21 minutos no ano passado, aponta o documento. No período, 1,5 milhão de atendimentos foram feitos em todo o Brasil.

Ampliação de subseções
A DPU está presente nas 27 capitais e em 40 cidades do interior, número equivalente a 25% das varas da Justiça Federal. Em dezembro de 2012, a Lei 12.763/2012 foi sancionada pela Presidência da República, criando 789 cargos de defensor público federal para a implantação do plano de interiorização do órgão. A Defensoria espera ampliar de 67 para 271 o número de seções e subseções judiciais atendidas pela instituição nos próximos anos.

O relatório, produzido pela Assessoria de Planejamento, Estratégia e Gestão (Asplan) da DPU, usa como referência dados recentes do Atlas do Censo Demográfico 2010, publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE); do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, publicado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); e de estatísticas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os dados analisados, em regra geral, compreendem o período de janeiro/2011 a dezembro/ 2013. Com informações da Assessoria de Imprensa da DPU.

Clique aqui para ler o Mapa da DPU.

FONTE: CONJUR