Remuneração

Direito e Processo do Trabalho

Postado em Atualizado em

Por Kelly Amorim

Trab

TST de A a Z. Consiste em explicar uma súmula ou OJ do Tribunal Superior do Trabalho por tema. Aproveite! Acompanhe e compartilhe!

Hoje é dia da letra R

Veja mais sobre Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho em:

TST de A a Z – Letra A

TST de A a Z – Letra B

TST de A a Z – Letra C

TST de A a Z – Letra D

TST de A a Z – Letra E

TST de A a Z – Letra F

TST de A a Z – Letra G

TST de A a Z – Letra H

TST de A a Z – Letra I

TST de A a Z – Letra J

TST de A a Z – Letra L

TST de A a Z – Letra M

TST de A a Z – Letra N

TST de A a Z – Letra O

TST de A a Z – Letra P

TST de A a Z – Letra Q

1472091_10151805505927473_770248009_nKelly Amorim. Formada pela Faculdade de Alagoas – FAL. Pós Graduada e Docência do Ensino Superior – Universidade Cruzeiro do Sul. Pós Graduada em Processo Civil, pelo ICAT/UDF e Processo do Trabalho – Processus. Mestranda em Políticas Públicas pelo Centro Universitário de Brasília – UNICEUB. Advogada militante nas áreas: Trabalhista – Direito Individual e Coletivo e em Processos Administrativos Disciplinares. Professora do Centro Universitário UDF.  Procuradora Institucional do Centro Universitário UDF.

Vale a pena conferir e acompanhar.

Washington Barbosa

www.washingtonbarbosa.com

fb/washingtonbarbosa.professor

Anúncios

Quanto ganham os advogados de empresa no Brasil?

Postado em Atualizado em

div

Remuneração em 23 Estados

São Paulo – Mato Grosso, São Paulo e Distrito Federal são os estados onde os advogados de empresas têm os maiores salários no Brasil.

O dado foi extraído da ferramenta online “Salariômetro”, criada pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e alimentada por informações do CAGED, do Ministério do Trabalho e do Emprego.

A profissão pesquisada é a de número 241010 na CBO (Classificação Brasileira de Ocupações). A remuneração média de admissão para dvogado empresarial é calculada com base em informações de contratações no período entre junho e novembro de 2014.

Clique nas fotos para ver a lista. Alagoas, Roraima e Tocantins não aparecem porque a ferramenta não inclui dados sobre a profissão nesses estados.

Minas Gerais

Salário médio de admissão: 4.237 reais
Base de cálculo: 90 contratações entre junho e novembro de 2014

Paraná

Salário médio de admissão: 4.388 reais
Base de cálculo: 38 contratações entre junho e novembro de 2014

Bahia

Salário médio de admissão: 2.776 reais
Base de cálculo: 18 contratações entre junho e novembro de 2014

Distrito Federal

Salário médio de admissão: 5.946 reais
Base de cálculo: 24 contratações entre junho e novembro de 2014

Goiás

Salário médio de admissão: 2.978 reais
Base de cálculo: 16 contratações entre junho e novembro de 2014

Mato Grosso

Salário médio de admissão: 6.491 reais
Base de cálculo: 6 contratações entre junho e novembro de 2014

Mato Grosso do Sul

Salário médio de admissão: 3.244 reais
Base de cálculo: 7 contratações entre junho e novembro de 2014

Rio de Janeiro

Salário médio de admissão: 5.909 reais
Base de cálculo: 94 contratações entre junho e novembro de 2014

Espírito Santo

Salário médio de admissão: 2.714 reais
Base de cálculo: 8 contratações entre junho e novembro de 2014

Maranhão

Salário médio de admissão: 3.994 reais
Base de cálculo: 2 contratações entre junho e novembro de 2014

Ceará

Salário médio de admissão: 3.320 reais
Base de cálculo: 26 contratações entre junho e novembro de 2014

Santa Catarina

Salário médio de admissão: 3.051 reais
Base de cálculo: 20 contratações entre junho e novembro de 2014

Pará

Salário médio de admissão: 4.901 reais
Base de cálculo: 10 contratações entre junho e novembro de 2014

São Paulo

Salário médio de admissão: 6.177 reais
Base de cálculo: 408 contratações entre junho e novembro de 2014

Rio Grande do Sul

Salário médio de admissão: 3.081 reais
Base de cálculo: 57 contratações entre junho e novembro de 2014

Rio Grande do Norte

Salário médio de admissão: 3.037 reais
Base de cálculo: 4 contratações entre junho e novembro de 2014

Amapá

Salário médio de admissão: 2.200 reais
Base de cálculo: 1 contratação entre junho e novembro de 2014

Paraíba

Salário médio de admissão: 3.068 reais
Base de cálculo: 6 contratações entre junho e novembro de 2014

Piauí

Salário médio de admissão: 2.500 reais
Base de cálculo: 1 contratação entre junho e novembro de 2014

Acre

Salário médio de admissão: 3.429 reais
Base de cálculo: 2 contratações entre junho e novembro de 2014

Pernambuco

Salário médio de admissão: 3.911 reais
Base de cálculo: 17 contratações entre junho e novembro de 2014

Sergipe

Salário médio de admissão: 3.663 reais
Base de cálculo: 3 contratações entre junho e novembro de 2014

Rondônia

Salário médio de admissão: 1.650 reais
Base de cálculo: 1 contratação entre junho e novembro de 2014.

Fonte: Exame.com

 

Veja também:

Oportunidades para as Carreiras Jurídicas

Concursos 2015

Traduzindo o Edital CNMP

O CNMP na Constituição

A Análise do Edital DPU (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte III)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte IV)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte V)

wasWASHINGTON LUÍS BATISTA BARBOSA é especialista em Direito Público e em Direito do Trabalho, MBA Marketing e MBA Formação para Altos Executivos;

Desempenhou várias funções na carreira pública e privada, dentre as quais: Assessoria Jurídica da Diretoria Geral e Assessoria Técnica da Secretaria Geral da Presidência do Tribunal Superior do Trabalho, Diretor Fiscal da Procuradoria Geral do Governo do Distrito Federal, Cargos de Alta Administração no Conglomerado Banco do Brasil.

Coordenador de Cursos Jurídicos de pós-graduação e preparatórios para concursos públicos

Editor dos blogs www.washingtonbarbosa.comwww.twitter.com/wbbarbosa, e https://www.facebook.com/washingtonbarbosa.professor

Autor de vários artigos publicados em revistas especializadas.

 

 

TJDFT

Postado em Atualizado em

TJDFT3

Muito boa notícia para quem está estudando e que pretende ingressar no quadro de servidores do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ/DF). Está tramitando na Câmara dos Deputados o projeto de lei 7722/14, que cria nada menos que 580 vagas no órgão, sendo 355 para preenchimento por meio de concursos públicos, 25 cargos comissionados e 200 funções comissionadas.

Das oportunidades destinadas para preenchimento por meio de concurso, 182 são para analistas judiciários e 173 para técnicos judiciários.

Quanto as vagas de analistas serão para as áreas de execução de mandados (40) e outras  não especificadas (142). Para execução de mandados é necessário possuir nível superior em direito e para as demais, superior em qualquer formação, caso sejam destinadas para a área administrativa, ou em carreiras específicas, conforme a objetivo. Para a área de execução de mandados, a remuneração inicial é de R$ 11.305,54 com gratificação judiciária (GAJ) de 75,2% e R$ 11.991,33 para GAJ de 90%. Para os demais analistas, R$ 8.178,06 para 75,2% e R$ 8.863,84 para 90%.

Para técnicos, a previsão é de 173 oportunidades, para concorrer é necessário apenas possuir ensino médio completo. O inicial é de R$ 5.007,82 com gratificação de 75,2% e R$ 5.425,79 para 90%.

Hoje, o projeto, está em trâmite em caráter conclusivo, em regime de prioridade, aguarda parecer do relator da Comissão de Trabalho, de Administração e  Serviços Públicos (CTASP). Posteriormente, ainda deve passar pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser votado em plenário.

Destinação – A maior parte dessas novas vagas serão para quatro fóruns criados pelo tribunal em algumas cidades satélites do Distrito Federal: Recanto das Emas, Águas Claras, Guará e Itapoã, pretendo prestar atendimento para 382 mil pessoas. Devem também prestar serviço em varas especializadas como as de execução penal, execuções das penas e medidas alternativas e de medidas socioeducativas. Também há previsão de três centros de tecnologia da informação para atender as áreas mais afastadas.

Vale ressaltar que dentre as justificativas do projeto, a proposta tem como objetivo substituir o projeto de lei 4.312/2012, que tinha por finalidade criar 2.666 vagas no órgão, que foi retirado da tramitação no Congresso Nacional em agosto de 2013, em decorrência da falta de recursos para arcar com as futuras contratações.

CULTURA

Postado em Atualizado em

 

 

 

A Medicina e os Cães 

 

THEÓFILO SILVA

 

Tempos difíceis para os doentes, aqueles do século XVII, em que Shakespeare viveu. Trago um exemplo da peça Ricardo II que nos dá um quadro bem diferente dos dias de hoje. Velho e doente, John de Gaunt, outrora poderoso duque, lamenta o banimento de seu filho pelo Rei Ricardo II, fato que contribuirá para apressar seus dias. Ricardo responde: “ora, meu tio, tendes muitos ainda por viver”. A resposta de Gaunt é pronta e sábia: “Mas não podeis alongá-los, rei, nem um só minuto. Podeis encurtar meus dias e retirar minhas noites; mas não vos é dado conceder-me um amanhã”.
Hoje, a medicina pode conceder-nos um amanhã, um ano ou até mesmo décadas. A medicina faz milagres. Apontei o século XVII, o que viveu Shakespeare – e da descoberta da circulação do sangue por Harvey – mas essas dificuldades vão até a segunda metade do século XIX, quando a dor é suprimida nas cirurgias, com o advento da anestesia. Uma outra grande revolução viria a ocorrer na década de quarenta, com a descoberta da penicilina, a mãe dos antibióticos. Hoje, a maioria das pragas estão erradicadas – continuam na África – Sarampo, Poliomielite, Cólera, Tuberculose, Sífilis, Lepra, Difteria e outros males horríveis fazem parte do passado.
A tecnologia aliou-se a ciência médica e tem feitos coisas inimagináveis no que diz respeito à cura de doenças. Dia a dia novas descobertas são acrescentadas prolongando a vida do homem. Se a média de idade de um europeu no início do século XX era de 36 anos, hoje na Holanda é de 80 anos. Mais que o dobro de um século atrás. O mapeamento da hélice de DNA antecipará a cura de doenças genéticas. A clonagem de animais a partir de uma única célula já se permite pensar na reprodução de seres humanos semelhantes. Uma situação que produz calafrios em todos nós. Essa assustadora possibilidade criou uma nova ciência, a Bioética. E mesmo que o Câncer e a AIDS continuem levando muitas almas, hoje se vive mais e melhor.
Mas, infelizmente, essa revolução na medicina tornou o homem um refém de um emaranhado de redes. Vejo que há uma relação promíscua entre laboratórios, hospitais, farmácias e médicos. As farmácias familiares não existem mais, hoje gigantescas redes controlam o mercado. A poderosa indústria farmacêutica, quase toda estrangeira, tem um controle quase absoluto sobre suas fórmulas. Os hospitais de uma determinada região são quase todos controlados por monopólios. Muitos médicos se tornaram reféns das indústrias de equipamentos médicos e dos laboratórios, que lhes ditam soluções prontas para todas as enfermidades. Existe um grupo de maus profissionais que em seus diagnósticos apenas repete o que os laboratórios dizem, sem individualizar os casos.
O doente, hoje, é visto na maioria das vezes como uma fonte de renda a ser explorada. Cartões de fidelidade a um único medicamento, com um suposto sistema de descontos, prendem o doente a um tipo de contrato que pode durar meio século. Há uma guerra permanente entre laboratórios e redes de farmácia por esse doente/cliente.
O abuso no tratamento de pacientes idosos em UTIs é uma constante. Já, as crianças essas são pacientes indesejáveis. Se John de Gaunt, rico como era, pertencesse aos nossos dias, teria vivido muitos mais tempo, e consumido seu dinheiro em leito de hospitais.
Quando o tirano Macbeth disse: ‘atirai a medicina aos cães! Não preciso dela”. Relembro a resposta honesta de seu médico: “atos contra a natureza geram desordens contra a natureza”. Precisamos desses médicos conscienciosos que digam não ao mercantilismo, e existem muitos deles; que vejam as pessoas como gente e não como investimento. A medicina está cercada de cães, precisamos afastá-los para que eles não nos afastem de nossos médicos.

Theófilo Silva é Presidente da Sociedade Shakespeare de Brasília e Colaborador do site www.washingtonbarbosa.com .

ESTE ARTIGO REFLETE A OPINIÃO DO AUTOR, E NÃO NECESSARIAMENTE  A POSIÇÃO DO SITE www.washingtonbarbosa.com. O SITE NÃO PODE SER RESPONSABILIZADO PELAS INFORMAÇÕES ACIMA OU POR QUALQUER PREJUÍZO DE QUALQUER NATUREZA EM DECORRÊNCIA DO USO DESSAS INFORMAÇÕES.