memória

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

*por Ana Carolina Mendonça

coaching11

Você conhece os benefícios dos exercícios físicos para a sua inteligência e memória?

 É bem sabido que a prática moderada e regular de exercícios físicos eleva o bem-estar e fortalece o coração e os músculos, mas vale acrescentar que ela também desenvolve a capacidade mental, combate a depressão e desacelera o declínio intelectual atrelado à idade.

 Corpo e Mente estão mais interligados do que se possa imaginar!

Cada vez mais a ciência tem comprovado essa estreita ligação entre mente e corpo e derrubado um antigo mito de que esses representariam uma dualidade em concorrência entre si.

 O fato é que a prática do exercício físico permite uma melhor irrigação sanguínea não apenas nos músculos, mas também no córtex cerebral, principalmente no hipocampo, região responsável pela aprendizagem e a memória.

Estudos mostram que a atividade física estimula o crescimento vascular e neuronal, ou seja, gera um ambiente mais favorável para prover os adequados nutrientes aos neurônios.

Em outras palavras, o exercício físico está estreitamente relacionado ao desenvolvimento da inteligência e da memória! Por isso, uma pessoa que incorpora a prática de atividades físicas moderadas ao seu dia a dia potencializa suas habilidades mentais e intelectuais.

E mais ainda, a mente também se beneficia da prática física no que se refere ao equilíbrio das emoções, uma vez que o treinamento regular reduz a liberação de cortisol (hormônio do estresse) e permite a liberação da serotonina (relacionada ao humor e ao bem-estar).

Por todos os benefícios decorrentes da prática do exercício físico, nota-se que tão ou mais importante que realizar atividades mentais que estimulem a cognição, é importante praticar exercícios físicos de forma moderada e regular a fim de aprimorar as habilidades mentais, como também ajudar a manter a mente ativa e mais eficiente por mais tempo!

Você deseja desenvolver a sua mente? Pratique exercícios físicos!

O Coaching é uma metodologia que permite a você compreender melhor a sua situação atual, definir exatamente onde você quer chegar e projetar ações efetivas para alcançar os seus objetivos! Conheça mais e se surpreenda com os seus próprios resultados!!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

Por Ana Carolina Mendonça

terc3a7a1

Você utiliza algum método específico para propiciar a sua aprendizagem?

Você sente que o seu nível de aprendizagem poderia ser aprimorado?

Quanto tempo de sua vida você investiu em aprender a aprender?

Com as descobertas da neurociência, compreendemos, pouco a pouco, como o cérebro e a mente funcionam, e esse conhecimento tem sido utilizado para encontrar técnicas e ferramentas que venham a acelerar a aprendizagem e melhorar a retenção de informações na memória.

Nesse contexto, são desenvolvidas as chamadas técnicas de aprendizagem acelerada, as quais são holísticas (sistêmicas), geram integração entre os dois hemisférios do cérebro (racional e intuitivo) e envolvem todo o corpo bem como as emoções, com o intuito de facilitar a compreensão, a memorização e a aprendizagem.

A aprendizagem acelerada faz nascer um estudo divertido, agradável, satisfatório e inovador, o qual é extremamente útil principalmente agora, na era da informação, em que o enorme acesso à cultura e às informações tem gerado um estado de ansiedade que torna cada vez mais difícil reter conhecimento.

Algumas técnicas de aprendizagem acelerada tem por objetivo justamente levar o estudante a um “estado ótimo para a aprendizagem”, propiciado pelo relaxamento bioenergético.

Sabe-se que uma mente tensa é sempre dispersiva e imprópria para qualquer atividade de introspecção e aprendizagem. O medo representa um dos maiores entraves para o aprendizado, chegando a exercer um papel bloqueador.

Em contraponto, a música (uma dentre as várias ferramentas e mecanismos da aprendizagem acelerada) tem se mostrado altamente eficiente para relaxar e propiciar o pleno funcionamento do cérebro.

Pesquisas realizadas pelo educador Giorgi Lozanov com a utilização de música clássica associada ao relaxamento bioenergético, obtiveram resultados surpreendentes. Ele constatou que músicas com 60/70 batidas por minuto (iguais as ondas cerebrais alfa) são capazes de harmonizar o corpo e a mente, permitir abrir o canal emocional para a supermemória e integrar o cérebro consciente ao subconsciente.

Lozanov dividia as aulas em 3 etapas e utilizava um tipo de música específico para cada uma. A primeira fase era embalada por música que conduzia ao relaxamento e propiciava aos alunos atingir o “estado ótimo para a aprendizagem”. Na segunda etapa era utilizado um concerto ativo, propiciando a velocidade de transmissão de conhecimento e na terceira, um concerto passivo, beneficiando o processo de memorização.

De forma geral, a música barroca é a mais indicada para relaxar o corpo, acalmar as vibrações e gerar um estado de vigília relaxada.

Aliar as técnicas de aprendizagem acelerada com o processo de Coaching potencializa substancialmente os seus efeitos, pois, a partir das particularidades do indivíduo, são selecionadas as técnicas mais apropriadas às suas reais necessidades.

O Coaching de Aprendizagem inspira e orienta o indivíduo a gerar um ambiente externo e interno propício para o estudo e a aprendizagem, por meio da organização, da concentração e do planejamento, tendo por base sempre o autoconhecimento.  Aliado a tudo isso, o Coaching permite, ainda, transmutar crenças limitantes e de autoimagem negativa sobre a capacidade de aprender, em crenças fortalecedoras utilizando-se de mecanismos de estruturação das capacidades do indivíduo.

O Coaching é uma metodologia que permite você compreender melhor a sua situação atual, definir exatamente onde você quer chegar e projetar ações efetivas para alcançar os seus objetivos! Conheça mais e se surpreenda com os seus próprios resultados!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Segredos do Sono Reparador

 

Ana Carolina*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

Por Ana Carolina Mendonça

coaching2

Qual é a qualidade do seu sono? E de sua memória?

Veja como sono e memória estão intimamente relacionadas.

Dizemos que dormimos para descansar, mas você sabia que o seu cérebro não descansa durante o sono? Pelo contrário, se mantém em plena atividade processando as informações coletadas durante a vigília, entre outras atribuições.

Pensar que dormir é perder de tempo tem-se mostrado completamente ilegítimo, o cérebro mantém-se em atividade, realiza as conexões cognitivas necessárias, além de diversas outras funções reparadoras e que propiciam equilíbrio e vitalidade.

Quem dorme mal, geralmente, tem dificuldade em lembrar-se de situações simples, como episódios ocorridos no dia anterior ou nomes de pessoas próximas.

Um estudo realizado pela Faculdade Lübeck, na Alemanha, concluiu que pessoas que conseguem ter uma boa noite de sono absorvem melhor as informações do dia a dia do que aquelas que passam longos períodos sem dormir e, mais ainda, que as pessoas se lembram melhor de informações depois de uma boa noite de sono quando sabem que elas serão úteis no futuro.

Os pesquisadores realizaram dois testes de memória envolvendo 191 voluntários.

Em um deles, cada participante deveria memorizar 40 pares de palavras; o outro foi um jogo da memória envolvendo pares de cartas com figuras de objetos e animais. Logo depois, metade dos voluntários foi informada de que faria um teste 10 horas depois para avaliar sua memória em relação a essas atividades. A outra metade não foi informada antes, mas também fez o teste. Somente alguns voluntários puderam dormir durante o período entre as tarefas e a avaliação.

O experimento mostrou que quem dormiu se saiu melhor do que quem se manteve acordado, ainda que esse tivesse passado a noite estudando. E, ainda, aqueles que dormiram sabendo do teste mostraram uma melhora significativa da memória e um aumento das atividades cerebrais enquanto estavam na fase de sono profundo (enquanto dormiam, os participantes foram monitorados por meio de eletroencefalograma).

Portanto, a pesquisa ressalta, pelo menos, duas variáveis interessantes envolvidas no processo de memorização: considerar a informação útil e dormir.

Quanto à primeira, é fundamental que você atribua importância à informação. Isso significa manter-se atento e concentrado, envolver conteúdos emocionais no aprendizado e repetir algumas vezes a informação recebida a fim de transmitir ao cérebro a mensagem de que a informação é relevante e merece ser guardada.

Durante o sono, o cérebro seleciona as informações acumuladas, reforça aquilo que considera importante e descarta o supérfluo. Assim, consegue fixar os dados, informações e lições relevantes que aprendeu ao longo do dia. Então, para que o seu cérebro não descarte as suas horas de estudo, não basta que você apenas leia a matéria, mas que se envolva com ela e seu cérebro perceba que é algo relevante e merece ser guardado.

Quanto à segunda variável, as pesquisas mostram que o cérebro precisa se desligar do mundo externo para realizar o trabalho de consolidação da memória. É crucial que o organismo esteja realmente adormecido e que a pessoa atinja a fase de sono REM.

Os fisiologistas Eugene Aserinsky e Nathaniel Kleitman, da Universidade de Chicago, observaram, em 1953, que o sono humano se em dois padrões de atividade cerebral conhecidos como sono de ondas lentas e sono paradoxal ou REM. As pesquisas de Robert Stickgold, em 2000, concluíram que cada uma das fases do sono desempenha um papel fundamental para o processo de memorização, e que o desempenho das pessoas melhora após dormirem seis horas.

Descobertas recentes, como os estudos de Robert Stickgold e Jeffrey Ellenbogen, em 2007, mostram que dormir também facilita a análise ativa de novas memórias, permitindo a resolução de problemas e dedução de novas informações.

Assim, a frase “dormir e pensar no assunto” tem feito cada vez mais sentido.

Quando se passa uma noite em claro, as memórias e os insights daquele dia ficam comprometidos. O sono parece propiciar a clareza que precisamos para os desafios da vida.

O Coaching lhe fornece poderosas ferramentas, além de orientação e inspiração, que lhe auxiliarão a trilhar o caminho para o sucesso dos seus sonhos.

Experimente e se surpreenda com os resultados!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

Por Ana Carolina Mendonça

coaching

O estresse faz parte do seu sistema de defesa. Em situações de perigo, ele é responsável pelas reações fisiológicas que o ajudam a enfrentar a situação ou fugir.

Nessas situações, a adrenalina exerce importante papel: acelera o coração, aumenta a pressão arterial e garante mais sangue nos membros e no cérebro para reagir a situações com rapidez. Percebendo isso, muitas pessoas acrescentam, conscientes ou inconscientemente, pequenas doses de pressão a suas vidas, de modo a gerar adrenalina e torná-las mais motivadas, ágeis e produtivas. Um típico exemplo é deixar para resolver as coisas de última hora. Você já percebeu o quanto consegue ser mais ágil nesses momentos?

Quando o estresse passou a ser parte normal da vida, passamos também a conhecer o segundo conceito da palavra estresse: desgaste físico e mental .

Você conhece os efeitos a médio e longo prazos?

A lista é enorme, envolve doenças físicas e psicológicas. O estresse contínuo tende a levar à sensação de desgaste constante, alteração de sono, esgotamento da energia e a provocar perda de interesse pelas coisas, problemas de atenção, concentração e memória, irritabilidade, além de ansiedade, depressão, hipertensão, mudança de apetite, alterações de humor, queda da imunidade, infecções, diabetes, doenças cardíacas. A pessoa em estresse tende a manter comportamentos prejudiciais à saúde, como comer em excesso e abusar de álcool, drogas ilícitas e remédios.

Certa vez, escutei que o estresse opera como os cupins, que roem a madeira de dentro pra fora; é muitas vezes silencioso e quando se mostra, já danificou órgãos, comprometeu a vida profissional e os relacionamentos familiares, conjugais ou profissionais. O estresse atinge sorrateiramente todas as áreas da vida.

Para saber se você está sendo corroído internamente pelos cupins do estresse, reflita calmamente:

Como você reage às situações adversas?

A sua vida te traz muitas preocupações? Você costuma se cobrar excessivamente?

Você costuma reagir antes de pensar? Você se considera pessimista (ou realista)?

Qual a qualidade do seu sono? Você acorda cansado ou bem disposto?

Você sente desânimos e falta de energia?

Ter uma visão positiva ou negativa dos fatos influenciará fortemente a sua relação ao estresse. É no campo dos pensamentos que tudo acontece. O pensamento negativo já representa para o cérebro a situação de perigo, pois o cérebro reage igualmente às situações fáticas e às imaginárias. O medo e a ansiedade geram estresse e são, ao mesmo tempo, consequência dele.

O perfil de pessoas com tendência ao pessimismo ou ao perfeccionismo ou que querem agradar a todos o tempo todo está intimamente relacionado ao estresse, o pensamento delas se invade por preocupações, muitas das vezes, desnecessárias.

Por outro lado, sentir prazer ameniza o impacto do estresse. Pessoas que não se permitem momentos de profundo relaxamento e lazer, bem como aquelas que não se permitem gozar a satisfação de ter completado uma tarefa, seja ela qual for, costumam sentir os efeitos destrutivos do estresse.

10 Dicas para evitar o desgaste emocional e físico do estresse:

  1. Evitar a pressa desmedida que atrapalha as relações interpessoais;
  2. Realizar atividades físicas;
  3. Manter alimentação saudável;
  4. Regular as emoções e criar dentro de si um ambiente saudável que inspire tranquilidade e calma;
  5. Destinar tempo ao lazer e à meditação;
  6. Brincar com seu animal de estimação;
  7. Buscar se autoconhecer;
  8. Estabelecer as suas prioridades na vida;
  9. Focar naquilo que é importante (e não só no que é urgente);
  10. Assumir uma postura otimista em relação à vida.

Você é responsável por construir seu destino e garantir a qualidade de sua vida! Aproveite a sua semana!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Segredos do Sono Reparador

 

Ana Carolina*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

Por Ana Carolina Mendonça

coaching

Qual é a qualidade do seu sono? E de sua memória?

Veja como sono e memória estão intimamente relacionadas.

Dizemos que dormimos para descansar, mas você sabia que o seu cérebro não descansa durante o sono? Pelo contrário, se mantém em plena atividade processando as informações coletadas durante a vigília, entre outras atribuições.

Pensar que dormir é perder de tempo tem-se mostrado completamente ilegítimo, o cérebro mantém-se em atividade, realiza as conexões cognitivas necessárias, além de diversas outras funções reparadoras e que propiciam equilíbrio e vitalidade.

Quem dorme mal, geralmente, tem dificuldade em lembrar-se de situações simples, como episódios ocorridos no dia anterior ou nomes de pessoas próximas.

Um estudo realizado pela Faculdade Lübeck, na Alemanha, concluiu que pessoas que conseguem ter uma boa noite de sono absorvem melhor as informações do dia a dia do que aquelas que passam longos períodos sem dormir e, mais ainda, que as pessoas se lembram melhor de informações depois de uma boa noite de sono quando sabem que elas serão úteis no futuro.

Os pesquisadores realizaram dois testes de memória envolvendo 191 voluntários.

Em um deles, cada participante deveria memorizar 40 pares de palavras; o outro foi um jogo da memória envolvendo pares de cartas com figuras de objetos e animais. Logo depois, metade dos voluntários foi informada de que faria um teste 10 horas depois para avaliar sua memória em relação a essas atividades. A outra metade não foi informada antes, mas também fez o teste. Somente alguns voluntários puderam dormir durante o período entre as tarefas e a avaliação.

O experimento mostrou que quem dormiu se saiu melhor do que quem se manteve acordado, ainda que esse tivesse passado a noite estudando. E, ainda, aqueles que dormiram sabendo do teste mostraram uma melhora significativa da memória e um aumento das atividades cerebrais enquanto estavam na fase de sono profundo (enquanto dormiam, os participantes foram monitorados por meio de eletroencefalograma).

Portanto, a pesquisa ressalta, pelo menos, duas variáveis interessantes envolvidas no processo de memorização: considerar a informação útil e dormir.

Quanto à primeira, é fundamental que você atribua importância à informação. Isso significa manter-se atento e concentrado, envolver conteúdos emocionais no aprendizado e repetir algumas vezes a informação recebida a fim de transmitir ao cérebro a mensagem de que a informação é relevante e merece ser guardada.

Durante o sono, o cérebro seleciona as informações acumuladas, reforça aquilo que considera importante e descarta o supérfluo. Assim, consegue fixar os dados, informações e lições relevantes que aprendeu ao longo do dia. Então, para que o seu cérebro não descarte as suas horas de estudo, não basta que você apenas leia a matéria, mas que se envolva com ela e seu cérebro perceba que é algo relevante e merece ser guardado.

Quanto à segunda variável, as pesquisas mostram que o cérebro precisa se desligar do mundo externo para realizar o trabalho de consolidação da memória. É crucial que o organismo esteja realmente adormecido e que a pessoa atinja a fase de sono REM.

Os fisiologistas Eugene Aserinsky e Nathaniel Kleitman, da Universidade de Chicago, observaram, em 1953, que o sono humano se em dois padrões de atividade cerebral conhecidos como sono de ondas lentas e sono paradoxal ou REM. As pesquisas de Robert Stickgold, em 2000, concluíram que cada uma das fases do sono desempenha um papel fundamental para o processo de memorização, e que o desempenho das pessoas melhora após dormirem seis horas.

Descobertas recentes, como os estudos de Robert Stickgold e Jeffrey Ellenbogen, em 2007, mostram que dormir também facilita a análise ativa de novas memórias, permitindo a resolução de problemas e dedução de novas informações.

Assim, a frase “dormir e pensar no assunto” tem feito cada vez mais sentido.

Quando se passa uma noite em claro, as memórias e os insights daquele dia ficam comprometidos. O sono parece propiciar a clareza que precisamos para os desafios da vida.

O Coaching lhe fornece poderosas ferramentas, além de orientação e inspiração, que lhe auxiliarão a trilhar o caminho para o sucesso dos seus sonhos.

Experimente e se surpreenda com os resultados!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

*por Ana Carolina Mendonça

coaching1

Você conhece os benefícios dos exercícios físicos para a sua inteligência e memória?

 É bem sabido que a prática moderada e regular de exercícios físicos eleva o bem-estar e fortalece o coração e os músculos, mas vale acrescentar que ela também desenvolve a capacidade mental, combate a depressão e desacelera o declínio intelectual atrelado à idade.

 Corpo e Mente estão mais interligados do que se possa imaginar!

Cada vez mais a ciência tem comprovado essa estreita ligação entre mente e corpo e derrubado um antigo mito de que esses representariam uma dualidade em concorrência entre si.

 O fato é que a prática do exercício físico permite uma melhor irrigação sanguínea não apenas nos músculos, mas também no córtex cerebral, principalmente no hipocampo, região responsável pela aprendizagem e a memória.

Estudos mostram que a atividade física estimula o crescimento vascular e neuronal, ou seja, gera um ambiente mais favorável para prover os adequados nutrientes aos neurônios.

Em outras palavras, o exercício físico está estreitamente relacionado ao desenvolvimento da inteligência e da memória! Por isso, uma pessoa que incorpora a prática de atividades físicas moderadas ao seu dia a dia potencializa suas habilidades mentais e intelectuais.

E mais ainda, a mente também se beneficia da prática física no que se refere ao equilíbrio das emoções, uma vez que o treinamento regular reduz a liberação de cortisol (hormônio do estresse) e permite a liberação da serotonina (relacionada ao humor e ao bem-estar).

Por todos os benefícios decorrentes da prática do exercício físico, nota-se que tão ou mais importante que realizar atividades mentais que estimulem a cognição, é importante praticar exercícios físicos de forma moderada e regular a fim de aprimorar as habilidades mentais, como também ajudar a manter a mente ativa e mais eficiente por mais tempo!

Você deseja desenvolver a sua mente? Pratique exercícios físicos!

O Coaching é uma metodologia que permite a você compreender melhor a sua situação atual, definir exatamente onde você quer chegar e projetar ações efetivas para alcançar os seus objetivos! Conheça mais e se surpreenda com os seus próprios resultados!!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

Por Ana Carolina Mendonça

CoachingO estresse faz parte do seu sistema de defesa. Em situações de perigo, ele é responsável pelas reações fisiológicas que o ajudam a enfrentar a situação ou fugir.

Nessas situações, a adrenalina exerce importante papel: acelera o coração, aumenta a pressão arterial e garante mais sangue nos membros e no cérebro para reagir a situações com rapidez. Percebendo isso, muitas pessoas acrescentam, conscientes ou inconscientemente, pequenas doses de pressão a suas vidas, de modo a gerar adrenalina e torná-las mais motivadas, ágeis e produtivas. Um típico exemplo é deixar para resolver as coisas de última hora. Você já percebeu o quanto consegue ser mais ágil nesses momentos?

Quando o estresse passou a ser parte normal da vida, passamos também a conhecer o segundo conceito da palavra estresse: desgaste físico e mental .

Você conhece os efeitos a médio e longo prazos?

A lista é enorme, envolve doenças físicas e psicológicas. O estresse contínuo tende a levar à sensação de desgaste constante, alteração de sono, esgotamento da energia e a provocar perda de interesse pelas coisas, problemas de atenção, concentração e memória, irritabilidade, além de ansiedade, depressão, hipertensão, mudança de apetite, alterações de humor, queda da imunidade, infecções, diabetes, doenças cardíacas. A pessoa em estresse tende a manter comportamentos prejudiciais à saúde, como comer em excesso e abusar de álcool, drogas ilícitas e remédios.

Certa vez, escutei que o estresse opera como os cupins, que roem a madeira de dentro pra fora; é muitas vezes silencioso e quando se mostra, já danificou órgãos, comprometeu a vida profissional e os relacionamentos familiares, conjugais ou profissionais. O estresse atinge sorrateiramente todas as áreas da vida.

Para saber se você está sendo corroído internamente pelos cupins do estresse, reflita calmamente:

Como você reage às situações adversas?

A sua vida te traz muitas preocupações? Você costuma se cobrar excessivamente?

Você costuma reagir antes de pensar? Você se considera pessimista (ou realista)?

Qual a qualidade do seu sono? Você acorda cansado ou bem disposto?

Você sente desânimos e falta de energia?

Ter uma visão positiva ou negativa dos fatos influenciará fortemente a sua relação ao estresse. É no campo dos pensamentos que tudo acontece. O pensamento negativo já representa para o cérebro a situação de perigo, pois o cérebro reage igualmente às situações fáticas e às imaginárias. O medo e a ansiedade geram estresse e são, ao mesmo tempo, consequência dele.

O perfil de pessoas com tendência ao pessimismo ou ao perfeccionismo ou que querem agradar a todos o tempo todo está intimamente relacionado ao estresse, o pensamento delas se invade por preocupações, muitas das vezes, desnecessárias.

Por outro lado, sentir prazer ameniza o impacto do estresse. Pessoas que não se permitem momentos de profundo relaxamento e lazer, bem como aquelas que não se permitem gozar a satisfação de ter completado uma tarefa, seja ela qual for, costumam sentir os efeitos destrutivos do estresse.

10 Dicas para evitar o desgaste emocional e físico do estresse:

  1. Evitar a pressa desmedida que atrapalha as relações interpessoais;
  2. Realizar atividades físicas;
  3. Manter alimentação saudável;
  4. Regular as emoções e criar dentro de si um ambiente saudável que inspire tranquilidade e calma;
  5. Destinar tempo ao lazer e à meditação;
  6. Brincar com seu animal de estimação;
  7. Buscar se autoconhecer;
  8. Estabelecer as suas prioridades na vida;
  9. Focar naquilo que é importante (e não só no que é urgente);
  10. Assumir uma postura otimista em relação à vida.

Você é responsável por construir seu destino e garantir a qualidade de sua vida! Aproveite a sua semana!

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Segredos do Sono Reparador

 

Ana Carolina*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br