Líder

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

*por Ana Carolina Mendonça

coaching

Atualmente, é você quem está liderando a sua vida, ou o mundo está fazendo isso por você?

A maioria das pessoas tem deixado a vida passar sem tomar suas rédeas, porém aquele que ousa ser líder de si mesmo determina a vida que deseja levar, planeja suas ações e faz as coisas acontecerem.

A liderança pessoal está relacionada à ideia do homem integral, que busca crescer e se desenvolver em todas as áreas da vida. O líder de si mesmo é aquela pessoa comprometida com o seu autoconhecimento, que se interessa em identificar seus pontos FORTES, como também seus pontos FRACOS, mas que não se limita a isso, busca continuamente superar-se a si próprio. Compreende que tudo é mutável.

Aquele que ainda não alcançou a liderança pessoal não consegue ver-se em profundidade. Sua opinião sobre si restringe-se às experiências que viveu no passado e ao que os outros acham dele (ou ao que ele acha que os outros acham dele).

Assim, não possui um autoconhecimento sobre sua potência (seus potenciais), pois ainda depende da aprovação, validação e direcionamento dos outros para que se sinta capaz de exercer o seu melhor e de atingir um estado de excelência. Dessa forma, passa a valorizar mais o externo que o interno, mais o passado que o presente. A pessoa não vive plenamente sua vida.

Por outro lado, o líder de si mesmo age como o capitão do seu próprio barco, encara seus medos e se conduz com autoconfiança, integridade e determinação em direção aos seus objetivos.

É possível que você esteja se perguntando: isso significa dizer que um líder pessoal não deve levar em consideração a opinião das outras pessoas? Bom, isso já seria um retrocesso. Um grande sábio dizia que onde não existe conselho fracassam os bons planos, mas com a cooperação de muitos conselheiros há grande êxito. Há uma grande diferença entre levar em consideração a opinião e a sabedoria adquirida por outras pessoas e depender exclusivamente delas, abrindo mão de tomar suas próprias decisões!

Desenvolver a liderança sobre si mesmo é ser capaz de se influenciar, de gerar automotivação e gerir suas competências físicas, mentais, emocionais e espirituais em prol dos seus objetivos.

A partir do autoconhecimento, o líder pessoal consegue, inclusive, compreender e se relacionar melhor com os outros, pois torna-se capaz de se colocar genuinamente no lugar deles e de visualizar as diversas perspectivas das situações.

E você, numa escala de zero a dez (em que zero representa ausência de competências de liderança pessoal e dez representa um perfeito líder de si mesmo), em que nível você se encontra hoje? Reflita!

Se gostou, curta e deixe seu comentário! Isso é crucial para saber se estou conseguindo cooperar com o seu crescimento e desenvolvimento pessoal, se estou trazendo conteúdo útil para a sua vida e seus projetos.

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

O que você precisa saber antes de fazer  Coaching – Parte 1

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Anúncios

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

*por Ana Carolina Mendonça

coaching

Atualmente, é você quem está liderando a sua vida, ou o mundo está fazendo isso por você?

A maioria das pessoas tem deixado a vida passar sem tomar suas rédeas, porém aquele que ousa ser líder de si mesmo determina a vida que deseja levar, planeja suas ações e faz as coisas acontecerem.

A liderança pessoal está relacionada à ideia do homem integral, que busca crescer e se desenvolver em todas as áreas da vida. O líder de si mesmo é aquela pessoa comprometida com o seu autoconhecimento, que se interessa em identificar seus pontos FORTES, como também seus pontos FRACOS, mas que não se limita a isso, busca continuamente superar-se a si próprio. Compreende que tudo é mutável.

Aquele que ainda não alcançou a liderança pessoal não consegue ver-se em profundidade. Sua opinião sobre si restringe-se às experiências que viveu no passado e ao que os outros acham dele (ou ao que ele acha que os outros acham dele).

Assim, não possui um autoconhecimento sobre sua potência (seus potenciais), pois ainda depende da aprovação, validação e direcionamento dos outros para que se sinta capaz de exercer o seu melhor e de atingir um estado de excelência. Dessa forma, passa a valorizar mais o externo que o interno, mais o passado que o presente. A pessoa não vive plenamente sua vida.

Por outro lado, o líder de si mesmo age como o capitão do seu próprio barco, encara seus medos e se conduz com autoconfiança, integridade e determinação em direção aos seus objetivos.

É possível que você esteja se perguntando: isso significa dizer que um líder pessoal não deve levar em consideração a opinião das outras pessoas? Bom, isso já seria um retrocesso. Um grande sábio dizia que onde não existe conselho fracassam os bons planos, mas com a cooperação de muitos conselheiros há grande êxito. Há uma grande diferença entre levar em consideração a opinião e a sabedoria adquirida por outras pessoas e depender exclusivamente delas, abrindo mão de tomar suas próprias decisões!

Desenvolver a liderança sobre si mesmo é ser capaz de se influenciar, de gerar automotivação e gerir suas competências físicas, mentais, emocionais e espirituais em prol dos seus objetivos.

A partir do autoconhecimento, o líder pessoal consegue, inclusive, compreender e se relacionar melhor com os outros, pois torna-se capaz de se colocar genuinamente no lugar deles e de visualizar as diversas perspectivas das situações.

E você, numa escala de zero a dez (em que zero representa ausência de competências de liderança pessoal e dez representa um perfeito líder de si mesmo), em que nível você se encontra hoje? Reflita!

Se gostou, curta e deixe seu comentário! Isso é crucial para saber se estou conseguindo cooperar com o seu crescimento e desenvolvimento pessoal, se estou trazendo conteúdo útil para a sua vida e seus projetos.

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

O que você precisa saber antes de fazer  Coaching – Parte 1

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

*por Ana Carolina Mendonça

Coaching

Atualmente, é você quem está liderando a sua vida, ou o mundo está fazendo isso por você?

A maioria das pessoas tem deixado a vida passar sem tomar suas rédeas, porém aquele que ousa ser líder de si mesmo determina a vida que deseja levar, planeja suas ações e faz as coisas acontecerem.

A liderança pessoal está relacionada à ideia do homem integral, que busca crescer e se desenvolver em todas as áreas da vida. O líder de si mesmo é aquela pessoa comprometida com o seu autoconhecimento, que se interessa em identificar seus pontos FORTES, como também seus pontos FRACOS, mas que não se limita a isso, busca continuamente superar-se a si próprio. Compreende que tudo é mutável.

Aquele que ainda não alcançou a liderança pessoal não consegue ver-se em profundidade. Sua opinião sobre si restringe-se às experiências que viveu no passado e ao que os outros acham dele (ou ao que ele acha que os outros acham dele).

Assim, não possui um autoconhecimento sobre sua potência (seus potenciais), pois ainda depende da aprovação, validação e direcionamento dos outros para que se sinta capaz de exercer o seu melhor e de atingir um estado de excelência. Dessa forma, passa a valorizar mais o externo que o interno, mais o passado que o presente. A pessoa não vive plenamente sua vida.

Por outro lado, o líder de si mesmo age como o capitão do seu próprio barco, encara seus medos e se conduz com autoconfiança, integridade e determinação em direção aos seus objetivos.

É possível que você esteja se perguntando: isso significa dizer que um líder pessoal não deve levar em consideração a opinião das outras pessoas? Bom, isso já seria um retrocesso. Um grande sábio dizia que onde não existe conselho fracassam os bons planos, mas com a cooperação de muitos conselheiros há grande êxito. Há uma grande diferença entre levar em consideração a opinião e a sabedoria adquirida por outras pessoas e depender exclusivamente delas, abrindo mão de tomar suas próprias decisões!

Desenvolver a liderança sobre si mesmo é ser capaz de se influenciar, de gerar automotivação e gerir suas competências físicas, mentais, emocionais e espirituais em prol dos seus objetivos.

A partir do autoconhecimento, o líder pessoal consegue, inclusive, compreender e se relacionar melhor com os outros, pois torna-se capaz de se colocar genuinamente no lugar deles e de visualizar as diversas perspectivas das situações.

E você, numa escala de zero a dez (em que zero representa ausência de competências de liderança pessoal e dez representa um perfeito líder de si mesmo), em que nível você se encontra hoje? Reflita!

Se gostou, curta e deixe seu comentário! Isso é crucial para saber se estou conseguindo cooperar com o seu crescimento e desenvolvimento pessoal, se estou trazendo conteúdo útil para a sua vida e seus projetos.

VEJA MAIS SOBRE COACHING:

O que você precisa saber antes de fazer  Coaching – Parte 1

Tempo: o seu bem mais precioso

Organizar e Aprender

Ana Carolina

*ANA CAROLINA MENDONÇA é uma eterna aprendiz, entusiasta pela mente e capacidades humanas. Master Coach Integral Sistêmico, certificada pela Florida Christian University. Palestrante. Articulista semanal. Contadora, com experiências na Administração Pública em Planejamento Estratégico, Auditoria, Escritório de Processos e Gerência de Projetos. Atualmente aprofunda seus conhecimentos nas áreas da Psicologia e Neurociência.

Contato: anacarolina@coachee.com.br  |  www.coachee.com.br

ESTRATÉGIA

Postado em

Atitudes do líder

que ajudam o time

a ser mais produtivo

por Christian Barbosa em hsm.com.br

estratégia

A produtividade é uma Tríade que acontece em 3 esferas. A primeira sem dúvida é a esfera pessoal, ou seja, o indivíduo aprendendo a melhorar o uso do seu tempo com técnicas de planejamento, organização, etc. A segunda é a esfera da equipe, ou seja, pessoas que juntam seus aspectos individuais de produtividade e devem seguir um modelo comum para obter resultados. A terceira esfera é a organização, ou unidade de negócio, formada pelo conjunto de equipes, que seguem estratégias de produtividade para atender os anseios da empresa.

Na segunda esfera, onde as equipes são o foco, o papel do líder é essencial para o time ser eficiente ou perder o rumo. Selecionei alguns tópicos que considero vitais nessa esfera, para que o líder ajude seu time a atingir os objetivos:

Estabelecer um propósito comum

Em um mundo tão high-tech como o nosso, pode parecer antigo falar de propósito, mas esse conceito é mais atual do que nunca. As pessoas vivem por aspirações, sonhos, missões, por coisas que transcendem o salário, metas, processos e sistemas. Isso vale muito para a geração Y, pois não basta dizer o que os Y devem fazer, devemos inspirá-los a fazer por si próprio, essa é a pegada. Estabelecer um propósito comum é uma discussão que precisa ser incentivada pelo líder na equipe.

Saber o que deve ser feito

Pode parecer óbvio, mas infelizmente a maior parte dos líderes não tem a menor ideia do próximo passo que deve ser dado para executar o projeto, atingir os números da meta, melhorar a qualidade do atendimento, etc. E em muitos casos ele não precisa saber mesmo, mas precisa ajudar o time a descobrir. Se não há clareza do que deve ser feito, as pessoas enrolam, adiam, executam coisas secundárias e quando se vê o que é realmente importante fica de lado frente às circunstâncias e urgências. Parar e discutir os próximos passos, determinando tarefas com clareza e tempo de duração, é essencial para uma execução aprumada.

Não gastar tempo com os que não melhoram

Eu acho que devemos ajudar as pessoas a melhorarem sua performance. Eu acredito na Tríade de oportunidades aos membros da equipe. Errou uma vez, treine novamente. Errou a segunda na mesma coisa, construa o feedback e ajude-o a melhorar. Errou a terceira é o sinal de falta de perfil para estar naquela equipe. Errou a quarta é perda de tempo. Uma pessoa improdutiva na equipe, contamina as pessoas e tira o resultado coletivo. É comum que uma pessoa competente não consiga performar se estiver no lugar errado, com as pessoas erradas ou com a função errada. Cortá-la é um ato que será benéfico a médio prazo para ambos os lados, por mais que no início possa parecer o contrário.

Intolerância a improdutividade

Se algo está constantemente dando problema e entrando na urgência, é o papel do líder não aceitar que isso seja normal e atuar de forma a evitar que o problema se repita. A tolerância ao erro cria um ambiente no qual o urgente passa a ser normal e isso não será tratado pelas pessoas com a devida importância.

Melhorar o processo de comunicação

Quanto mais tecnologia, mais nos perdemos e pior fica a comunicação entre as pessoas. Toda equipe deveria ter um “protocolo” de comunicação, uma forma acordada entre todos, onde as coisas que todos devem saber são comunicadas no tempo e da forma correta. Um exemplo é o e-mail. Será que umas 2 ou 3 regrinhas de e-mail não fariam a diferença? Por exemplo, um assunto da seguinte forma: [ABC LTDA]-[PROJETO XPTO], pode ajudar a organizar melhor as mensagens no meio de uma Caixa de Entrada lotada.

Fonte: Canal da Estratégia