FGV

Caminhos para se preparar

Postado em Atualizado em

Por Alvaro de Azevedo Gonzaga

OAB

Recentemente, a Fundação Getúlio Vargas, em seu núcleo de concursos, revelou dados importantes para muitas pessoas. Trata-se de alguns dados relativos a faculdades, matrículas, inscrições no Exame de Ordem, bem como as reprovações em tal certame.

Esse relatório é como um manual de instruções, ou uma radiografia feita do II ao XIII Exame Nacional de Ordem. Serve como base tanto para professores e acadêmicos de cursos de direito, quanto a professores de cursos preparatórios e candidatos que prestam o Exame de Ordem.

Quem trabalha com estatística sabe que os dados apresentados em alguns tópicos são insuficientes para desenvolvermos conclusões definitivas. De qualquer maneira, temos revelado importantes indicativos para que possamos desenhar melhor ainda nossos caminhos no “preparar” para o Exame de Ordem.

Vamos a alguns dados.

A média de aprovação continua média no Exame de Ordem

tabela 1

17,5% – este é o numero médio de aprovados nos últimos onze exames. O pior cenário que tivemos foi no IX Exame (apenas 11,4% de aprovados) e o melhor foi no certame seguinte, X Exame, com 28,1% de aprovados.

O índice de aprovação dos candidatos revela-se menor, mas não tanto quanto os dos exames anteriores, organizados pelo CESPE/UNB. Mas esse índice pode nos levar a alguns problemas a serem detectados, são eles:

1.   inflacionamento do número de advogados. Em 2004, tínhamos cerca de 415 mil advogados no Brasil; hoje, 2015, temos mais de 850 mil;

2.   inflacionamento dos cursos de Direito. O Brasil tem mais de 1,1 mil faculdades de Direito, enquanto o mundo tem menos de 1,1 mil, ou seja, temos mais faculdades de Direito no Brasil que o mundo todo;

3.   o Exame ficou mais difícil;

4.   a qualidade do preparo dos alunos, com grande quantidades de materiais e videoaulas de valor duvidoso e sem qualquer metodologia.

Os dois últimos motivos são os que mais me preocupam e com o qual podemos contribuir com os estudos dos alunos. De fato, a inserção de novas matérias e a redução do número de testes reduz a possibilidade de expansão temática em determinadas matérias tidas como essenciais. Penso que, com relação a esse tema, a OAB deveria ampliar a quantidade de questões para 100 testes novamente, elaborar questões mais curtas e apresentar no edital do Exame o temário das matérias que não são exigidas na segunda fase, como Direitos Humanos e Filosofia do Direito.

Com relação ao último motivo, penso que não adianta acumular no computador um amontoado de material para não estudá-lo ou não lê-lo. É preciso ter um direcionamento de estudo.

O vilão da segunda fase pode ser não saber escolher

tabela 2

Essa é a tabela dos candidatos aprovados na segunda fase por sua área de escolha.

Ouço alguns folclores nos corredores de faculdades e cursinhos que basicamente profetizam o seguinte:

A melhor área para se prestar na segunda fase é Penal ou Trabalho, isso porque são matérias do dia a dia, vemos situações de violência reportadas cotidianamente, bem como estabelecemos relações laborais constantemente. Isso gera uma falsa aderência natural para o candidato que escolhe essas matérias.

Dos folclores negativos, embora também envolvam relações cotidianas, temos o Direito Civil como líder. Quando alguém diz que irá prestar Civil na segunda fase:

Você é louco? Civil? Você tem ideia de quantas peças existem em civil?

Parece-nos que essa tabela sugere outra realidade, ao menos que prestar Trabalho ou Penal deve ser a opção daqueles que têm aderência natural à matéria. Inscrever-se nessas matérias sem qualquer aderência ou por uma visão parcial do que é a prova pode ser um erro. Mas não podemos perder o foco de que essas são as duas matérias mais procuradas, muitas vezes por candidatos indecisos ou que não tiveram um preparo adequado ao longo de sua graduação, inclusive.

Já em Direito Civil, que é líder de crítica é vice-líder de aprovação, não resta dúvida de que os candidatos que prestam essa disciplina têm aderência muito grande ao tema, haja vista o processo de desencorajamento realizado.

É preciso notar que aquelas matérias vistas como “novas” (Empresarial, Administrativo e Constitucional) vêm tendo um bom desempenho nos últimos exames, embora Empresarial, que teve um índice de quase 33% de aprovados no VI Exame, tenha obtido, no XIII certame, um índice baixíssimo, apenas 1,8%, o que também mostra uma sazonalidade na reprovação.

Contudo, essa tabela é encorajadora em Constitucional, que está não apenas no topo das normas, mas também no topo das aprovações: lidera praticamente todos os Exames, chegando a incríveis 41% no VII Exame. Um dado curioso é que Constitucional é uma das matérias menos procuradas para a segunda fase, segundo a própria OAB.

Não quero ser simplista dizendo que a melhor área para prestar na segunda fase é Direito Constitucional; quero que o aluno escolha sua área não pela simpatia a um professor, ou a um folclore, mas sim por sua aderência à matéria quando da sua escolha.

Como disse na abertura deste breve texto, temos aqui uma radiografia do Exame de Ordem. Para termos conclusões definitivas, provavelmente precisaríamos de uma tomografia computadorizada. Mas enquanto não temos toda essa tecnologia por parte da OAB, seguimos diagnosticando com os exames que nos são dados.

Revista Consultor Jurídico, 14 de janeiro de 2015, 9h44

Alvaro de Azevedo Gonzaga é advogado, é Pós-Doutor pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa e Universidade de Coimbra. Professor concursado da PUC/SP. Professor e coordenador da OAB no Curso Fórum.

Veja também:

Agenda OAB 2015

Concursos 2015

Traduzindo o Edital CNMP

O CNMP na Constituição

A Análise do Edital DPU (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte III)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte IV)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte V)

 

 

Anúncios

Edital TJGO2014

Postado em Atualizado em

tjgo

 

 

Divulgado edital do

concurso público para

474 vagas no TJGO

 

O presidente da Comissão de Seleção e Treinamento do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Zacarias Neves Coelho (foto), divulgou na segunda-feira (4) oedital do concurso público para preenchimento imediato de 474 vagas para o cargo de Analista Judiciário do quadro de pessoal do Poder Judiciário de Goiás, além de formação de cadastro de reserva. O 1º Concurso Público Unificado para o provimento de vagas para cargos de nível superior, a serem preenchidas pelo regime estatutário, terá percentual mínimo de 5% das vagas para candidatos com deficiência, desde que existentes 20 ou mais vagas.

As inscrições poderão ser feitas no período de 14 de agosto a 8 de setembro deste ano. Para efetuar a inscrição, o interessado terá de acessar a página da FGV e efetuar o preenchimento do cadastro. O envio do requerimento vai gerar, automaticamente, a Guia de Recolhimento Simplificado (GRS), com valores de R$ 68,00 para os cargos nas áreas Judiciária e Especializada, e de R$ 63,00 para Apoio Judiciário e Administrativo. A Guia deverá ser impressa e paga em qualquer agência bancária do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco Itaú, sendo de responsabilidade do candidato a impressão e guarda do comprovante.

A isenção da taxa de inscrição poderá ser solicitada no período entre 14 horas do dia 14 de agosto e 23h59 de 17 de agosto de 2014. Somente haverá isenção para os candidatos que declararem e comprovarem falta de recursos financeiros para pagamento da taxa, nos termos do Decreto Federal nº 6.135, de 26 de junho de 2007, e do Decreto Federal nº 6.593, de 2 de outubro de 2009.

Provas
A seleção dos candidatos para os cargos de Analista Judiciário – Áreas Judiciária, Área Especializada e Área de Apoio Judiciário e Administrativo será por meio de prova escrita objetiva e prova discursiva, todas de caráter eliminatório e classificatório. As provas vão ser realizadas no dia 19 de outubro, em Goiânia (GO). Para o cargo de Analista Judiciário – Área de Apoio Judiciário e Administrativo, o horário da prova será de 8 às 12 horas. Já para Analista Judiciário – Área Judiciária e Área Especializada, a prova será no período da tarde, das 14 às 18 horas. Os resultados serão divulgados na internet e no Diário da Justiça Eletrônico. O concurso será de responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV). (Texto: Fernando Dantas – Centro de Comunicação Social do TJGO)

Veja Também

A Análise do Edital e as Estratégias de Estudo para o TJDFT

A Análise do Edital DPU (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte I)

A Análise do Edital para Delegado PC/DF (Parte II)

Processo Penal – Aula 1

Exame de Ordem

Postado em Atualizado em

Falta menos de uma semana

Por Washington Barbosa

 

 

Estamos a menos de quatro dias da prova de primeira fase do XIV Exame de Ordem. No próximo domingo à tarde, os examinandos deparar-se-ão com 80 questões das diversas disciplinas que compõem o programa da prova.

Não adianta chorar pelo leite derramado!

Não perca tempo lamentando-se do que deixou de fazer no período de preparação. O tempo não volta atrás, mas nem tudo está perdido. Em quatro dias dá para fazer muita coisa.

O que fazer nesses próximos dias que antecederão à data da prova?

Em primeiro lugar, não é hora de desespero ou mesmo de tentar aprender coisas novas. A Hora é de reforçar os seus conhecimentos e revisar o que você estudou.

  • Selecione o material para revisão – esquemas, resumos e mapas mentais – preferencialmente os feitos por você mesmo;
  • Escolha, dentre as disciplinas abaixo, os conteúdos que você se sente mais seguro:
DISCIPLINA QUESTÕES
Direito Constitucional;

7

Direito Administrativo;

6

Direito do Trabalho;

6

Processo do Trabalho;

5

Direito Penal;

6

Processo Penal;

5

Direito Empresarial.

5

 

  • Lógico que o Estatuto, Regimento e Regulamento é conteúdo obrigatório, são 10 de 40 questões, ou seja, um quarto dos 40 pontos necessários para a sua aprovação.

Com este material selecionado, mãos à obra, releia os seus resumos e lembre-se de escrever, escrever muito. O processo da escrita (não vale digitação) é essencial para a verdadeira fixação da aprendizagem.

Outra coisa muito importante para você fazer nesses últimos dias é ficar atento para as revisões gratuitas.

É muito comum as grandes redes de ensino promoverem “aulões” gratuitos, mesas redondas, “viradões”, … não perca essas oportunidades. Geralmente os professores fornecem dicas muito importantes e essenciais para uma boa prova. Outro ponto importante é que esse momento se presta para você avaliar a qualidade da equipe de professores de cada curso, o que será fundamental para a escolha de onde você fará a preparação para a segunda fase. SIM, SEGUNDA FASE, porque você vai passar!

Ainda, não cometa o erro de estudar até a última hora. Um dos fatores que mais pesam na hora de uma prova é você estar com a mente limpa e mentalmente relaxada. Quando você fica estudando até a hora de entrar para fazer a prova, é como se você fosse correr uma maratona logo depois de acabar de correr outros 42 km.

Sendo assim, pare de estudar no sábado à tarde, comecinho da noite, tire a noite para relaxar um pouco, fique um pouco com o seu companheiro ou sua companheira, curta a família e os amigos. SEM EXCESSOS, somente para refrescar a sua mente e seu corpo.

Finalmente, eu sempre sugiro aos meus alunos que conheçam o local da prova antes da data do Exame. Identifique possíveis locais para estacionar e trajetos alternativos para chegar no ambiente da prova. Melhor ainda se alguém puder leva-lo no dia, pois você se livra do estresse do estacionamento e, de quebra, receberá um suporte emocional que fará a diferença.

Vamos que vamos!

Boa prova, vai ser SHOW!

Gran Juris Carreiras Jurídicas

Postado em

vidanova

Por questões pessoais, decidi afastar-me do Gran Juris e buscar novos projetos.
Nesses últimos três anos pude contar com o apoio de uma equipe dedicada e competente de professores. Foram muitos os elogios, as alegrias, o sucesso do nosso trabalho fui fruto de um time coeso e determinado.
Mais do que isso, tudo foi feito para você minha querida aluna e meu querido aluno. Você que é peça fundamental nesse processo e que sempre esteve junto conosco prestigiando o nosso trabalho.
Muito obrigado pelo apoio de sempre.
Estaremos sempre juntos e em contato, seja no lugar que for.
Conto sempre com cada um de vocês.

Washington Barbosa

http://www.washingtonbarbosa.com

http://www.facebook.com/washingtonbarbosa.professor

Direito Penal Dosimetria

Postado em

Dosimetria da Pena

no Direito Penal

Por Anderson Costa

dosimetria

 

Vamos falar um pouco de dosimetria? Lembrando, pessoal, que existe diferença entre qualificadora e causa de aumento… A qualificadora transforma a pena do crime: ex: homicídio simples – 121 caput: pena 6 a 20 anos de reclusão. Homicídio qualificado (par. 2): 12 a 30 anos de reclusão.

A majorante aumenta a pena do crime em uma fração: exemplo: roubo caput: 4 a 10 anos. Roubo majorado (par. 2) – aumenta-se a pena de 1/3 até metade se…

Então podemos falar em homicídio qualificado pelo meio cruel, mas não podemos falar em roubo qualificado por uso de arma. O correto é roubo majorado! O roubo só é qualificado no caso do par. 3. Fica a dica!!

10502022_612307302200405_1179843353066052957_n

Resultado do XIII Exame de Ordem

Postado em

XIII Exame: confira

o resultado preliminar

da 2ª fase

oab 3

Brasília – O resultado preliminar da prova prático-profissional (2ª fase) do XIII Exame de Ordem Unificado será divulgado pelo Conselho Federal da OAB às 18h desta terça-feira (24). Também serão publicados os padrões de resposta definitivos de cada uma das áreas jurídicas. Os examinandos terão três dias para a interposição de recursos contra o resultado preliminar da 2ª fase.

De acordo com o edital, o prazo para interpor recursos será das 12h desta quarta-feira (25) até às 12h do próximo sábado (28), observado o horário oficial de Brasília (DF). Os recursos poderão ser interpostos no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado definitivo do XIII Exame, após a análise e consideração dos recursos interpostos, está programado para ser divulgado em 14 de julho.

Os candidatos, que não obtiveram sucesso na prova prático-profissional e foram aprovados na 1ª fase do XIII Exame, poderão solicitar reaproveitamento da 1ª fase e se inscrever na 2ª fase do XIV Exame de Ordem Unificado. O prazo é das 14h do dia 5 de agosto até às 23h59 do dia 12 de agosto. A realização da 2ª fase será em 14 de setembro.

O Exame de Ordem Unificado pode ser prestado por bacharel em Direito, ainda que pendente apenas a sua colação de grau, formado em instituição regularmente credenciada. Podem realizá-lo os estudantes de Direito do último ano do curso de graduação em Direito ou dos dois últimos semestres. A aprovação é requisito necessário para a inscrição nos quadros da OAB como advogado, conforme estabelece o artigo 8º, IV, da Lei 8.906/1994.

Confira aqui o resultado preliminar.

Saiba mais aqui sobre o reaproveitamento da 1ª fase do XIV Exame.

Segunda Fase da OAB

Postado em Atualizado em

OAB: Segunda fase

contará com 46 mil

candidatos. Resolva

provas anteriores

OAB_segunda_fase_contará_com_46mil_candidatos
A segunda fase do XIII Exame de Ordem Unificado contará com aproximadamente 46.081 mil candidatos. Isso porque, foram aprovados 36.971, soma-se nessa conta outros 9.041 remanescentes do XII exame.

Tome nota

O Exame da Ordem dos Advogados (OAB) ou Exame de Ordem é uma avaliação que mede os conhecimentos e capacidades para exercício da profissão de advogado. O exame costuma ser aplicado 3 vezes ao ano, possui 2 avaliações: a objetiva e a prático profissional.

Qualquer Bacharel em Direito que queira atuar como advogado deve fazer o exame de forma obrigatória. Ele também é requisito para inscrição do profissional no quadro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O exame de ordem tem duração de 5 horas e o escore máximo é de 10 pontos.

Confira as datas de todos os exames da OAB previstos para este ano:

AGENDA

XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

Prova prático-profissional – 2.ª fase 01/06/2014

XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

Publicação do Edital de Abertura 20/06/2014

Período de Inscrição 20/06/2014 a 02/07/2014

Prova Objetiva – 1.ª fase 03/08/2014

Prova prático-profissional – 2.ª fase 14/09/2014

XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

Publicação do Edital de Abertura 26/09/2014

Período de Inscrição 26/09/2014 a 09/10/2014

Prova Objetiva – 1.ª fase 09/11/2014

Prova prático-profissional – 2.ª fase 21/12/2014

Você sabia?

O Exame da Ordem foi criado em 1963 pela lei 4.215 mas só foi regulamentado a 10 anos atrás 1994 pela lei 8906 de 4 de Julho, que atribui a OAB a competência para regulamentar os dispositivos do Exame de Ordem.

Confira abaixo as provas anteriores e os gabaritos. O exame foi dividido em 4 tipos de provas.

Tipo1- Branca

Tipo 2- Verde

Tipo 3- Amarela

Tipo 4- Azul

Gabaritos