ansiedade

Coaching para Concursos

Postado em

ORGANIZAR E APRENDER!

* por Ana Carolina Mendonça

Study 

Cara Leitora e Caro Leitor,

Excepcionalmente, esta semana, a nosso coluna Coaching para Concursos foi publicada fora do seu dia de costume, todas as terças-feiras. Próxima semana voltaremos ao dia tradicional.

Aproveite mais um artigo, leia, apreenda e aplique as técnicas sugeridas.

Washington Barbosa

http://www.washingtonbarbosa.com

http://www.facebook.com/professorwashingtonbarbosa

Você se sente motivado a estudar? Você possui um ambiente de estudos organizado? Você produz os seus próprios esquemas e mapas mentais? Você se sente bem estudando? Você consegue se desligar do mundo e se manter concentrado nos seus estudos?

 Quando você estuda, você está absorvendo e inter-relacionando informações dentro do seu cérebro. Significa dizer que você está estruturando esse conhecimento de forma a ser possível resgatar essa mesma informação quando necessário.

 Qual é a sua capacidade de armazenar informações? Por quanto tempo você consegue reter esses mesmos conhecimentos?

 Ao contrário do que muitos pensam, o sabernão ocupa espaço. O conhecimento é dinâmico e serve como instrumento para aperfeiçoar o indivíduo em algum aspecto da sua vida.Quanto mais se aprende, torna-se mais fácil aprender.

 Quem afirma não gostar de estudar, provavelmente está com uma visão estática do conhecimento, reduzindo o estudo a um mero processo de decorar informações estanques e desnecessárias ao contextoem que está inserida e, mais ainda, possivelmente está encontrando dificuldadesem manter organizado o raciocínio, as ideias e o pensamento.

 Frequentemente, o indivíduo se depara com uma quantidade enorme de matérias e de conhecimentos a serem aprendidos e alega falta de tempo e de memória para aprender tudo. Muitos afirmam que enquanto estão estudando uma matéria, costumam esquecer o que estudaram anteriormente.

 Isso se deve, muitas vezes, à desorganização. Para que a sua aprendizagem seja duradoura e a memorização mais eficiente, você deverá estar atento a atitudes essenciais:

 1)     Manter organizado o ambiente de estudo;

2)     Manter organizado os materiais de estudo;

3)     Manter-se alinhado ao seu planejamento de estudo específico e individualizado, monitorando o seu progresso;

4)     Manter a ordem nos demais ambientes (espaços físicos, como a casa eo trabalho; o espaço digital, que inclui toda informação armazenada em computadores, pendrives, HDs e nuvens).

 Observe o ambiente a sua volta. Sinceramente, numa escalade zero a dez, em que zero significa “totalmente desorganizado” e dez representa “altamente organizado”,

 Que nota você daria para a organização do seu quarto, da sua casa, da sua mesa do trabalho?

 [Reflita sobre isso antes de continuar a leitura. Se você sentiu preguiça só de se lembrar da bagunça, por favor, não deixe de ler esse artigo até o final]

 Se as notas não foram muito boas, é sinal de que provavelmente sua mente tampouco esteja organizada, pois a organização/desorganização mental reflete-se na organização/desorganização externa e vice-versa, o que tende a se tornar um círculo vicioso.

 A desorganização mental se exterioriza no ambiente, tornando-o bagunçado. O ambiente desorganizado exige mais esforço e reduz a produtividade, o que gera estresse e/ou perda de tempo, a depender do tipo de reação da pessoa.

 Algumas vão gastar muito mais tempo para realizar as mesmas atividades, fazendo crescer uma insatisfação interna e um desânimo com seus projetos.  Esgotada, a pessoa não se motiva a se organizar, perpetuando a situação improdutiva.

 Outras pessoas se dizem capazes de se adaptar ao ambiente desorganizado. Elas geralmente compensam a perda decorrente da desorganização crescente com a aceleração da mente. No entanto,não se dão conta das consequências gravosas que isso acarreta, como o aumento dos níveis de estresse e de ansiedade, tão prejudiciaisaos estudos, à realização de provas e à vida, como um todo.

 Em um e outro caso, é possível que a pessoa permaneça por longo período presa ao círculo vicioso, até que decida assumir comportamentos diferentes, que lhe trarão mais qualidade de vida e mais gosto por estudar!

 Tenha em mente que romper com qualquer círculo vicioso exige determinação e persistência, mas os benefícios são altamente compensadores!

 Para sair desse círculo vicioso, a dica é se organizar e criar novos hábitos. A organização engloba o ambiente de estudos, a agenda semanal e, principalmente, o material de estudos (inclusive os resumos, esquemas e mapas mentais gerados a partir do estudo). Consequentemente, o aluno estará mais integrado ao processo de aprendizagem, sendo capaz de, em primeiro lugar, organizar o conhecimento externamente para, assim, mantê-lo também organizado internamente.

 Organizar o conhecimento externamente está intimamente associado à ideia de montar seu próprio material de revisão, que o acompanhará até a prova. Esse material será bastante útil para realizar constantes revisões, as quais consolidarão as sinapses neurais de armazenamento e resgate do conhecimento.

 O tempo investido com as novas habilidades e atitudes tem se mostrado altamente compensador a) pelo aumento da produtividade na aprendizagem, b) pela redução da ansiedade e do estresse, c) pela melhoria da qualidade da memorização e d) pelos melhores resultados em provas de alto rendimento.

 Das coisas que estão sobre a sua mesa de estudo ou de trabalho, o que é realmente essencial? Quanta coisa tem ocupado espaço sem necessidade? Quanta coisa você guarda sob o argumento de que um dia será útil, mas que de fato nunca serão utilizadas? Quanto tempo você leva para encontrar o que precisa?

 Experimente por um dia libertar-se da desorganização! Permita livrar-se da poluição visual e digital! Depois, avalie o seu aumento de disposição e de produtividade e escreva pra mim contando os resultados e as mudanças que você conseguiu realizar!

 

Veja mais sobre Coaching:saiba mais

Segredos do Sono Reparador

Quantas Horas Estudar?

O Domínio da Matéria

Interesse pela Leitura

Você: Aliado ou Inimigo

Construir a Aprovação

Ensine seu cérebro a produzir energia e não a disperdiçá-la

Excelência: Estado de Fluxo

Qual o seu Estilo de Aprendizagem

Relaxamento Instantâneo

Seu Plano de Estudo

Impulsionando a sua Memória

Regulou o seu Foco?

Técnicas de Memorização

Conhece o Princípio 10/90?

Confiança e Ansiedade na Aprendizagem

Inteligência se Aprende

6 Dicas para Você Concretizar suas Decisões

imageANA CAROLINA MENDONÇA é Master Coach com certificação em Coaching Integral Sistêmico, nas especialidades Life e Executive Coaching, pela Federação Brasileira de Coaching Integral Sistêmico, em parceria com a Florida Christian University. Palestrante e Articulista Semanal em Coaching. Com experiências no Banco Central do Brasil e no Tribunal Superior do Trabalho, onde participou do Planejamento Estratégico Institucional, exerceu a Gerência de Projetos, dentre eles, a estruturação do Escritório de Processos. Atualmente, concilia suas atividades no Conselho Superior da Justiça do Trabalho com o trabalho no Coaching.

Contato: (61) 8413-8543 – anacarolina@coachee.com.br

Anúncios

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

INTERESSE

PELA LEITURA

* por Ana Carolina Mendonça

curso-de-leitura-dinamica

Qual o seu nível de concentração e de aproveitamento em leituras para estudo? Você gosta de ler? Você se distrai estudando?

 Você é do tipo de pessoa que ao tomar um livro para estudar gasta mais tempo pensando na vida e relendo a matéria que acabou de ler para tentar entendê-la, do que efetivamente prestando atenção na leitura?

 Se a resposta for afirmativa, provavelmente você está diante de obstáculos que te impedem ou dificultam de produzir uma leitura eficiente e que, terminam gerando um desinteresse pela leitura.

 Esse desinteresse é, ao mesmo tempo, causa e consequência da falta de concentração e da lentidão na leitura, bem como da baixa captação de conhecimento. Por isso, a importância de se trabalhar o interesse pela leitura, sendo essa uma das bases do coaching para concursos.

 Ao mesmo tempo que o desinteresse é causador da diminuição da concentração, da velocidade da leitura e, consequentemente, da captação de conhecimento, ele também é reforçado após uma sessão de estudos “improdutiva”.

 E quais são esses obstáculos que desencadeiam o desinteresse pela leitura?

O que você pode fazer diferente para superá-los?

 a)     Ambiente de estudos inapropriado: A organização do ambiente retrata a organização da mente. Um ambiente de estudos silencioso, organizado e adequadamente iluminado, impactam positivamente no resultado da leitura. (leia mais em Qual é o seu estilo de aprendizagem?)

 b)     Falta de motivação: O desânimo é uma das grandes ameaças ao estudo, bem como a todo e qualquer projeto. A motivação está intrinsecamente relacionada ao comprometimento com o planejamento, ao engajamento no projeto, bem assim ao significado da preparação para o candidato. (leia mais em Entendendo o coaching e Seu Plano de Estudos)

 c)      Falta de concentração: Esse é um obstáculo comumente relatado por candidatos. Para adquirir concentração é preciso definir bem o seu foco. Ademais, com o uso de técnicas específicas de concentração você alcançará melhor rendimento na leitura e na aprendizagem. (leia mais em Regulou o foco? e Excelência: Estado de Fluxo)

 d)     Vocabulário reduzido: Você já deve ter notado que ao ler um texto de palavras “difíceis”, cujo significado você desconheça, a leitura perde a fluidez. Quão mais familiarizado você estiver com o vocabulário próprio do conteúdo lido, melhor será o seu aproveitamento. Uma dica é iniciar os estudos por textos mais simples.

 e)     Pressa e falta de tempo: A pressa é uma preocupação que interfere diretamente na absorção e retenção da informação lida. Ler com pressa acaba por se tornar uma perda de tempo. Melhor investir em um bom planejamento de estudos e organizar melhor o seu tempo (leia mais em Construir a aprovação).

 f)       Ansiedade: A grande vilã da aprendizagem e do bom rendimento em provas e concursos. O estado mental e emocional da ansiedade dificulta a captação e a retenção do conhecimento lido. Sobre o assunto, leia mais em Confiança e Ansiedade na aprendizagem e Você: aliado ou inimigo?.

 É importante que você reconheça a existência desses obstáculos e avalie se você está diante de algum ou alguns deles. Esse é o primeiro passo para buscar meios de superá-los.

 Se você gostou, ficou em dúvida ou tem alguma sugestão, deixe seu comentário! Será muito bem-vindo!

 Bons estudos!!

Veja mais sobre Coaching:saiba mais

Você: Aliado ou Inimigo

Construir a Aprovação

Ensine seu cérebro a produzir energia e não a disperdiçá-la

Excelência: Estado de Fluxo

Qual o seu Estilo de Aprendizagem

Relaxamento Instantâneo

Seu Plano de Estudo

Impulsionando a sua Memória

Regulou o seu Foco?

Técnicas de Memorização

Conhece o Princípio 10/90?

Confiança e Ansiedade na Aprendizagem

Inteligência se Aprende

6 Dicas para Você Concretizar suas Decisões

image

ANA CAROLINA MENDONÇA é Master Coach com certificação Internacional em Coaching Integral Sistêmico, nas especialidades Life e Executive Coaching. Formada em Ciências Contábeis – Universidade de Brasília, com pós-graduação em Controle e Auditoria Públicos. Atuou no Banco Central do Brasil e no Tribunal Superior do Trabalho e atualmente trabalha no Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Contato: (61) 8413-8543 – anacarolina@coachee.com.br

 

 

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

IMPULSIONANDO

SUA MEMÓRIA

por Ana Carolina Mendonça*

 

 learning

Qual seu nível de confiança com sua memória? Você conhece o funcionamento dela? Você sabe que tipos de informação ficam registradas na sua memória?

 Costumo escutar pessoas falando que possuem uma memória ruim. Mas, o que realmente existe é uma memória mal treinada.

 A memória representa o produto da aprendizagem. Aquilo que foi aprendido não se esquece. No entanto, a grande maioria das coisas que vemos, lemos, sentimos, ouvimos será “descartado”, a menos que nosso cérebro interprete aquela informação como algo útil e necessário.

 A questão é que diante do edital de uma prova ou concurso público não basta verbalizar que todo aquele conteúdo deve ser aprendido, isso nãoé suficiente, se não houver um envolvimento real, emocional e cinestésico com o que será estudado.

 É comum ver pessoas questionando a extensão do conteúdo bibliográfico, reclamando enquanto estudam, se queixando pelo tempo dispendido, imaginando coisas mais interessantes que poderiam estar fazendo naquele momento ou, então, reclamando da complexidade da disciplina.

 O que essas pessoas estão comunicando ao cérebro?

 Se o estudo é desagradável, o cérebro não interpreta essas informações como importantes e relevantes para a vida e, assim, não as armazena em local de fácil recordação.

 Pense bem! Se você estivesse diante de um conhecimento que fosse mudar a sua vida, que te possibilitasse realizar seus sonhos, que fosse lhe trazer melhores condições de vida para você e sua família, você estaria reclamando e fazendo corpo mole?

 Use sua inteligência emocional a seu favor! Coloque cor, música, alegria, disposição, concentração e desafio nos seus estudos e você verá o impacto dessa aprendizagem!

  • inteligencia emocionalO interesse é o pai da memória! Esteja por inteiro naquilo que estiver fazendo, com seus sentidos atentos, pois eles levarão as informações ao cérebro.
  • Treinar a memória é antes treinar a cognição, a percepção e a atenção. Busque entender o significado de cada item estudado, bem como a relação entre eles. Tentar aprender cada um de forma isolada é agir na contramão do funcionamento natural do seu cérebro.

Não imagine que você fará um copia-e-cola do livro para sua mente. O aprendizado requer raciocínio, processamento da informação, com atenção e envolvimento.

  • Não exija tanto da sua memória! Querer cobrá-la de informações que você mesmo não deu a importância devida enquanto estudava é irracional e tende a gerar um estado de ansiedade, que só prejudicará a aprendizagem (ver artigo Confiança na Aprendizagem). Não fique se cobrando e se martirizando se algo foi esquecido.
  • Se você quer,realmente, manter um conhecimento a longo prazo: revise, revise e revise!!Como todos os recursos possíveis! Isso o fará registrar permanentemente a informação para uma fácil recordação.

Qual é a sua melhor forma de memorizar?

Compartilhe sua experiência e dicas em forma de comentário.

Veja mais sobre Coaching:

Regulou o seu Foco?

Técnicas de Memorização

Conhece o Princípio 10/90?

Confiança e Ansiedade na Aprendizagem

Inteligência se Aprende

6 Dicas para Você Concretizar suas Decisões

image*ANA CAROLINA MENDONÇA é coach com certificação Internacional em Coaching Integral Sistêmico, nas especialidades Life e Executive Coaching. Formada em Ciências Contábeis – Universidade de Brasília, com pós-graduação em Controle e Auditoria Públicos. Atuou no Banco Central do Brasil e no Tribunal Superior do Trabalho e desempenha função no Conselho Superior da Justiça do Trabalho. 

Coaching para Concursos

Postado em Atualizado em

CONFIANÇA E ANSIEDADE

NA APRENDIZAGEM

*por Ana Carolina Mendonça

 

aprendizagem

Estudar é para você um momento de sofrimento ou de alegria? É um martírio ou um empolgante desafio? Se a resposta foi um sofrimento ou um martírio, talvez seja o momento de despertar para a magia dos estudos e da aprendizagem!

 Por que não transformar os seus estudos em um momento prazeroso e divertido?

Brain-cartoonQuando criança era assim que você encarava a aprendizagem, você aprendia brincando, cantando, se desafiando e se divertindo. E aprendia de forma mais rápida e para a vida toda!

No entanto, o aprendizado vem naturalmente seguido de testes. Desafios como cantar na frente dos parentes, responder a desafios de aritmética, participar das apresentações de teatro na escola ou de torneios infantis de esportes individuais ou coletivos moldam a forma como as crianças passam a encarar as provas da vida.

Diante desses testes, ser bem-sucedido reforça a autoestima e cria uma associação positiva aos testes e exames (crença fortalecedora). Por outro lado, as crianças que se sentem constrangidas, fracassadas ou ridicularizadas tendem a fazer uma associação negativa(crença limitante) quanto às provas e até mesmo a sua capacidade de aprendizado.

É nesse momento que muitas pessoas criam barreiras não apenas vinculadas aos testes e exames, mas também ao processo de aprendizagem, transformando aquilo que era prazeroso e divertido, em um momento de sofrimento.

Tomado por suas crenças limitantes na aprendizagem, o principal vilão do indivíduo é o medo, que frequentemente se apresenta sob a forma de ansiedade. Pensamentos negativos, preocupações e dificuldade de concentração prejudicam seu processo de aprendizagem e sua performance em provas, o que reforça, ainda mais, a insegurança e a crença limitante.

 De modo inverso, as pessoas imbuídas em crenças fortalecedoras percebem o momento da realização da prova de forma leve, positiva e desafiadora. O que propicia melhores resultados e a uma reafirmação da confiança.

 A boa notícia é que uma crença construída na infância não é imutável, ela poderá ser trabalhada e transmutada!

 Os resultados obtidos no processo de coaching mostram a desassociação das crenças negativas do passado, que limitam a performance do indivíduo, e a construção de novas crenças fortalecedoras, que o conduzirão a extraordinários ganhos de qualidade.

 Nas próximas semanas abordarei dicas para melhorar o rendimento na aprendizagem.

E você, que dificuldades enfrenta nos estudos? O que limita sua confiança? Deixe suas dúvidas e opiniões em forma de comentário.

BONS ESTUDOSSe você decidiu estudar, se a sua meta é obter o registro na OAB ou passar no sonhado concurso público:

ü   transforme sua trajetória e sua preparação em um prazer;

ü   tome gosto pelo estudo e ele se tornará mais proveitoso;

ü   vocêdesenvolverá sua autoconfiança e alcançará melhores resultados;

ü   não espere começar a aprender para, então, gostar da matéria. Comece gostando da matéria, e logo você a aprenderá.

 

BONS ESTUDOS!

 

image*ANA CAROLINA MENDONÇAé coach com certificação Internacional em Coaching Integral Sistêmico, nas especialidades Life e Executive Coaching. Formada em Ciências Contábeis – Universidade de Brasília, com pós-graduação em Controle e Auditoria Públicos. Atuou no Banco Central do Brasil e no Tribunal Superior do Trabalho e desempenha função no Conselho Superior da Justiça do Trabalho.